Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Amorosamente

Meros pensamentos dramatizados em verso e em prosa

Amorosamente

Meros pensamentos dramatizados em verso e em prosa

Ter | 29.09.20

Disco riscado.

H. Alegria

Num milhão de músicas que ouvi em repetição como um disco riscado, nenhuma me diz nada. Por norma, os discos riscados têm o dom de se apoderar das minhas palavras. Releio os meus textos onde nada faz sentido, releio os textos ao tom do respetivo disco e parece que as mensagens se juntam numa valsa e de algum modo consigo ouvir a mensagem... Ou ler, é confuso realmente.

Contigo, os discos riscados são só isso, discos riscados. Já corri todas as lojas de vinis desta cidade, corri uma por uma, e vasculhei cada vinil de cada género musical. Não há sinos. Não há palavras conduzidas por magia dos meus ouvidos à ponta dos meus dedos, e eu olho-me ao espelho observando o vazio em mim... Que te quer dizer tanto mas palavra nenhuma consegue pronunciar.

Sempre estive repleta de palavras, palavras muitas vezes desnecessárias e sem sentido, mas eram palavras sem fim. Pronunciava tudo e mais alguma coisa numa fração de segundo. A arte de tudo dizer sem nada realmente dizer... E contigo, não há palavras, sequer.

É um vazio que não sei descrever.

Ao mesmo tempo a minha vida nada tem de vazio deste que nela apareceste...

Minto. Na tua ausência há um vazio ainda maior. O vazio da expressão e o vazio de ti. Um vazio em dobro que me deixa apática... E o pior de tudo? Que nem assim tenho uma palavra a dizer, por mais irracional que seja, não há um único disparate a quebrar a minha estranha mudez.

Desde que apareceste que tudo tem vindo a mudar. Todos os dias são uma possibilidade de crescer como pessoas, e sinceramente parece que mudei tanto desde que te conheci, parece que cresci tanto... E nada ao mesmo tempo, por mais paradoxal que seja.

Sou mais uma pessoa na tua vida tão populada. E tu mais uma pessoa na minha... Gostava de dizer que sim, é tão simples e "insignificante" quanto isso, reciprocamente. Mas não posso dizer isso de mim. Há dias que parece que sim, és mais uma pessoa na minha vida, não mais importante que uns outros tantos, mas de todo não menos importante que muitos, muitos mais... Noutros parece que há uma esperança em mim que conta os dias, as horas, e os minutos por te ter por perto novamente.

E como num disco riscado, as palavras estão meio soltas e sem nexo, apesar de haver um ritmo que, quando realmente ouvido, parece guiar na direção certa... Acho que no meio de todo o paradoxal que trouxeste à minha vida, devia pegar nestes vinis que pouco ou nada dizem sobre ti, e tentar ouvir as palavras que ninguém quer dizer, aquelas perdidas entre linhas.

opinar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.