Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Amorosamente

Meros pensamentos dramatizados em verso e em prosa

Amorosamente

Meros pensamentos dramatizados em verso e em prosa

Qui | 01.10.20

Fugi dela.

H. Alegria

Uma vez afastei-me duma amiga e ainda hoje isso me assombra. Não é algo que realmente me pese, mas é uma sombra que sempre carrego algures em mim.

Eu não ignoro ninguém, absolutamente ninguém, não consigo. Mas consegui fugir dela. Olhei para nós e vi uma relação tóxica. Hoje, não sei se é por culpa se pelo que é, mas pergunto-me se realmente o era...

O que nos uniu foram as nossas tragédias pessoais. Mas ainda hoje nos acho pessoas extremamente diferentes.

Ela é crítica, direta... Tão direta que pode magoar. Preocupada. Muito preocupada... Lá no fundo um tanto sensível. Mas sempre um osso duro de roer. Forte. Extremamente segura de si. Muito inteligente, e segura da sua inteligência. Firme.

Eu sou desastrada... Nervosa. Algo inteligente. Nada segura. Talvez corajosa. Bastante sensível, bastante mesmo.

Sim, isto não foi nada imparcial!

A verdade é que naquela época, eu não confiava na minha própria sombra. Estava fechada em mim mesma. Mas ela via em mim uma amiga, e eu, quando me fui curando da minha própria desconfiança, fui analisando as coisas de outra forma.

Porque para mim ela até era uma amiga, eu é que não estava num bom sítio para dar espaço a amizades. Quando isso mudou tentei confiar, mais por mim do que por ela. Muito mais por mim que por ela... Mas não foi fácil.

As palavras dela eram demasiados críticas para a tragédia emocional em que a vida me tinha metido. As certezas dela demasiado fortes para eu puder pronunciar as minhas.