Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Amorosamente

Meros pensamentos dramatizados em verso e em prosa

Amorosamente

Meros pensamentos dramatizados em verso e em prosa

Seg | 17.05.21

Lembrei-me de ti.

H. Alegria

 

Lembrei-me de ti. Lembrei-me de nós. Lembrei-me daquele sentimento, outrora tão puro... Lembrei-me de como te esqueci, e do quanto o fervor deste amor pintava isso de impossível... Esquecer-te.

Realmente, a vida tem qualquer coisa de fantástico. Por um momento lembrei-me de tudo aquilo que outrora me parecia impossível de enterrar. Como uma cicatriz notória que te acompanha para o resto da vida... Mas até a cicatriz mais vistosa acaba por passar despercebida. A gente habitua-se. Trazemos todos os nossos livros de vida no bolso, enquecendo-nos das histórias que desenham cada página.

Isso incluí amores e desamores como o nosso. Amores onde o coração sussurra teres encontrado a tua alma gémea, por mais que saiba que tenha sido na hora errada...

O nosso amor não foi amor... Foi poema, foi desencontro, foi telepatia. Foi um olhar tão cheio que não lhe cabiam palavras. Foi um acaso tão certo que veio por engano.

Sei lá eu se um dia nos cruzamos para dar razão ao meu coração... O tempo passou e tudo levou. Deixou um capítulo poeirento na efemeridade que é a vida.

Mas por um segundo eu lembrei-me do quão mágico que foi. E um vazio assolou-se em mim ao perceber que tudo passa... Ao perceber que este, outrora, grande amor que vivemos se desvanece num passado onde nunca mais mexemos.

E num segundo segundo pensei em todos os corações desfeitos em cacos, desolados por haver um amanhã de mil pedaços, incrédulos da possibilidade de o sol brilhar novamente... Mas tudo passa! E para o bem e para o mal, essa é a magia da vida.