Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Amorosamente

Meros pensamentos dramatizados em verso e em prosa

Amorosamente

Meros pensamentos dramatizados em verso e em prosa

Ter | 12.05.20

Sei lá eu o que é o amor.

H. Alegria

Sinto saudades de amar. Amar como se ama quando se dá o coração por inteiro... Mas sei lá eu o que é o amor.

Sempre fui medrosa, medrosa demais, admito. Uma romântica incurável, também há que ser dito... Não sei quando é que amar deixou de ser uma prioridade. Quando é que sonhar deixou de ser o meu oxigénio voluntário? Não sei. Talvez hajam outras prioridades que contos de fadas sonhados à distância.

As amostras que me calharam de revistas cor de rosa, todas elas vindas da banca que é esta vida, contavam-me a montanha russa que era o amor. E eu? Eu sou melindrosa. Tenho medo de alturas, medo de ter a cabeça a andar às voltas. Eu mal dou conta de amostras... Sei lá eu o que é o amor.

Mas nunca tive medo de sentir... Bom, até dada altura, não de todo. Acho que eram os sonhos que me corriam nas veias, corriam bombeados de coragem. A curiosidade arrebatadora de saber do que se tratava este sentimento pelo qual escrevem músicas, livros e poemas. Fazem filmes, peças de teatro, séries e novelas... Finais felizes aqui e acolá que nos fazem sonhar mais e mais. Acho que a coragem corria em busca de respostas.

Mas o tempo passa e pouco posso dizer...

Apostei nas amostras erradas até ganhar medo de bombear coragem.

Deixei escapar as amostras certas. Avistei o amor, olhos nos olhos... O tempo parou e eu deixei-o retomar algures por aí, algures sem mim.

Temi amostras por tantas dúvidas ter acumulado. Temi que a coragem me magoásse e mesmo assim, ela correu incansavelmente pelas minhas veias... E no fim doeu de qualquer jeito. Talvez tenha doído mais, porque até o medo me doeu.

Porque são sentimentos incontroláveis. Um sentimento em específico para o qual eu sempre desejei resposta... E no entanto só acumulei dúvidas... Dúvidas e receios. E se o olhar nos olhos de novo, vou tremer de medo... Vou tremer de coragem... Tremer de sonhos. Porque tremer de amor? Eu sei lá o que é o amor! Sei sonhar, quando o coração assim o quer.

opinar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.